Migração e Urbanização no Brasil: Processos de Concentração e Desconcentração Espacial e o Debate Recente

Ralfo Matos, Rosana Baeninger

Resumo


As migrações internas e a urbanização são dois grandes processos sociais que tanto dão sentido e forma às transformações estruturais deflagradas pelo avanço da modernidade capitalista no século XX no Brasil, quanto explicam em larga medida a ocupação do território nacional e as recentes manifestações de dispersão e redistribuição da população no território.

Esse trabalho procura examinar sinteticamente essa importante dimensão do desenvolvimento socioespacial contemporâneo do País, mediante revisão da literatura, exposição dos principais pontos do debate e apresentação de algumas das evidências mais recentes sobre o processo de redistribuição populacional no espaço, sobretudo o que abrange os últimos 30 anos.

Para tanto, a primeira parte do texto apresenta breves comentários sobre a fase histórica anterior de concentração demográfica e urbano-industrial. A partir desse pano de fundo, focaliza-se a etapa subsequente, quando começava a se esgotar essa tendência e emergir inéditos processos espaciais de desconcentração econômica. Nesse contexto, a discussão pautou-se sobre possíveis efeitos de processos concomitantes ou não de desconcentração/reconcentração econômica e redistribuição da população.

Em face disso, tornou-se necessária a reflexão apoiada em dados empíricos e em estudos recentes sobre o ritmo e intensidade da desaceleração do crescimento metropolitano, de modo a melhor visualizar a difusão de uma nova urbanização desconcentrada envolvendo, inclusive, alterações nos sentidos e direções dos movimentos migratórios. A última parte 

desse estudo, portanto, analisa a redistribuição da população na atual rede urbana brasileira e o papel das aglomerações urbanas não-metropolitanas e das localidades não-primazes nos processos recentes de urbanização e reorganização da população no espaço.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.