CARACTERIZAÇÃO E ANÁLISE ESPACIAL DO DÉFICIT DE ARMAZENAGEM EM MINAS GERAIS

Marlon Fernandes Souza, Carlos Lobo

Resumo


O armazenamento de grão é fundamental para o equilíbrio da economia e garantia da segurança alimentar. Em todo o Brasil, a produção de grãos tem alcançado sucessivos recordes, sem que haja investimentos na mesma proporção na pós-colheita. A carência de estruturas para armazenamento da produção pode gerar perdas significativas. Minas Gerais sempre foi um estado importante na produção agrícola brasileira, e apresenta um déficit atual de 6,5 milhões de toneladas de capacidade de armazenamento (CONAB, 2016; IBGE, 2016a). A pesquisa analisou, através da regressão espacial, a relação entre produção e armazenamento de grãos, identificando as áreas do estado de Minas Gerais que apresentam os maiores desvios, com especial atenção ao déficit de armazenagem. A análise de regressão espacial permite modelar, examinar e explorar relacionamentos espaciais e pode ajudar a explicar os fatores por trás dos padrões espaciais observados. O método adotado foi a Regressão Geograficamente Ponderada. A regressão obteve R² de 0,687, apesar da grande dispersão dos dados observados e dos elevados valores de resíduos da regressão. Os municípios com maior desvio de armazenagem esperada de acordo com nível de produção, em geral tem seus desvios justificados por outras variáveis que não foram consideradas no modelo.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.