ANÁLISE EXPLORATÓRIA ENTRE: INFECTADOS POR DENGUE E DADOS SOCIOECONÔMICOS, RELATIVOS A 2010, DOS MUNICÍPIOS DA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL

Diego de Sousa Ribeiro Fonseca, Ricardo Alexandrino Garcia

Resumo


O objetivo deste trabalho foi realizar a análise exploratória de dados referentes às taxas registradas
de acometidos pela dengue nos municípios dos Estados da região Sudeste do Brasil,
correlacionando-os com as seguintes variáveis: índice de desenvolvimento humano municipal
(IDHM), percentual de população urbana, renda per capita, esperança de vida ao nascer e
população economicamente ativa (PEA) maior que 18 anos. A metodologia empregada consistiu
na análise descritiva dos dados; análise de componentes principais; análise da correlação de
Pearson e emprego do teste de semelhança por vizinhança baseado no Índice de Moran. Os
resultados mostraram alta dispersão nos dados, tendo como modelo preditivo com maior poder
explicativo a relação entre a dengue e o IDHM nos Estados. Houve correlação entre dengue e
IDHM nas seguintes unidades federais: Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. Entre dengue e
percentual de população urbana: em Minas Gerais, Espírito Santo e São Paulo. Entre dengue e
renda per capita: em Minas e no Rio. Entre dengue e esperança de vida ao nascer: em Minas e São
Paulo. Associação entre dengue e população economicamente ativa: no Estado de Minas Gerais.
A heterogeneidade dos valores foi verificada por meio da análise espacial com o Ìndice de Moran,
o qual foi significativo (p<0.01), mas moderadamente explicativo (0,50). A conclusão a que se
chega é, quanto maior o nível de desenvolvimento, maior tem sido a possibilidade da ocorrência
de dengue e, menor é a capacidade de tais sociedades em conter tal distúrbio da saúde coletiva.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.