Contribuições do modelo de regressão não-linear logarítmico aplicado à análise de perfis longitudinais em geomorfologia fluvial

Renata Jordan Henriques, Roberto Célio Valadão

Resumo


Este trabalho trata sobre o comportamento
geométrico de perfis longitudinais e sua
recorrente associação enquanto indicador sobre as
condições hidrodinâmicas em geomorfologia
fluvial. Na literatura é recorrente a investigação
sobre perfis em equilíbrio (graded profile)
resultarem em assumir uma curvatura logarítmica
linear negativa de concavidade que se atenua em
direção jusante. Todavia, a simples observação
morfológica do perfil não é suficiente para indicar
as condições entre erosão, deposição e distribuição
de energia no sistema. Neste contexto este artigo
apresenta o método estatístico de regressão nãolinear
logarítmico como instrumento para avaliar
quantitativamente o quanto o perfil longitudinal
de dado curso fluvial se aproxima do perfil ideal
de equilíbrio, bem como indicar possíveis
condicionantes que possam estar influenciando
sua geometria. Como cenário são utilizados os
principais afluentes que drenam parte do divisor
hidrográfico das bacias dos rios das Velhas e
Paraopeba, em Minas Gerais. Nesses afluentes o
método se revela adequado como instrumento
para avaliar a geometria dos perfis longitudinais,
bem como o arcabouço geológico é o principal
condicionante que sugere influenciar a morfologia
dos perfis, ao passo que a variabilidade da
cobertura pedológica se revela como indicador da
maneira como o curso d’água possa dissecar a
superfície.

Palavras-chave


Geomorfologia fluvial; Modelagem estatística; Regressão não-linear

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


GEOgrafias: uma publicação do Departamento de Geografia e do Programa de Pós-Graduação em Geografia - IGC/UFMG